O BIM pós-COVID-19: O que muda?

As novas tendências de trabalho no mundo após a pandemia mudaram e impactaram todos os setores da engenharia, obrigando projetistas a entenderem as necessidades das novas concepções de ambientes.



O COVID-19 instaurou no mundo novas tendências que mudaram hábitos em todos os âmbitos da sociedade. No caso da engenharia civil não foi diferente. Foi preciso uma união dos setores e da sociedade para poderem adaptar-se as novas tendências e entender como isso poderia impactar diretamente no trabalho a ser desenvolvido pelos projetistas.

Quando analisado sob a ótica de novas formas de trabalho, o BIM tornou-se quase que unanimidade para projetistas no desenvolvimento de técnicas que possibilitem o trabalho remoto e que ao mesmo tempo permitem o exercício de trabalho com satisfação e qualidade.



Por sua metodologia trazer consigo ideais de desenvolvimento de projetos conjuntos e simultâneos para otimização das atividades, o BIM é ferramenta hoje do presente. Entendendo um cenário onde as organizações adotarão o sistema híbrido de trabalho, permitindo home office e idas periódicas aos escritórios, o BIM, além de poder proporcionar isto com qualidade nos processos a serem desenvolvidos, ele impacta diretamente nas obras.

Pela mudança dos orçamentos das construtoras devido ao impacto financeiro da pandemia, é necessário que os projetos desenvolvidos sejam mais assertivos e proporcionem formas de design que otimizem os processos e que sejam rentáveis para a obra como um todo.

Além disso, como preocupação do setor, as construções pós COVID-19 apresentam novos modelos. Espaços mais arejados e que possibilitem a circulação de pessoas sem aglomerações, mas que ao mesmo tempo sejam úteis para o ambiente, áreas planejadas para dedetização dos frequentadores do local, além do distanciamento para espaços que podem adaptar-se ao ramo de negócio a ser construído, fazem parte das prioridades dos projetos que estão sendo desenvolvidos a partir do ano de 2020 como forma de combate a futuras pandemias.



A mudança de comportamento pós-pandemia localiza-se tanto dentro do escritório quando nas obras que estão sendo feitas. As atitudes de prevenção possíveis para o controle do vírus estão em práticas já adotadas pelo mercado no quesito da higienização e medição da temperatura dos trabalhadores além do uso de máscaras.

Aumentar o controle de custos no desenvolvimento da construção utilizando de tecnologias também pode ser útil para o cronograma orçamentário do empreendimento e incluir isso no escopo do projeto também já faz parte da realidade de muitas construtoras.

30 visualizações0 comentário