top of page
  • Foto do escritorBruno Chacon

Economia Real com BIM: Estudo de Caso no Projeto Elétrico de um Residencial Multifamiliar

Hoje vou te contar um caso real de como a metodologia BIM (Building Information Modeling) se tornou a estrela nos bastidores de um projeto elétrico residencial. Prepare-se para descobrir como fizemos para economizar com a execução do projeto e como você pode fazer ai na sua obra.


O Cenário: Um Residencial Multifamiliar Horizontal de 386 Casas
planejamento de projeto macro feito no miro pela Chacon Engenharia
Residencial multifamiliar Foto: Chacon Engenharia

Imaginem um empreendimento de 91.877m², abrigando 386 casas, onde cada centímetro de cabo e cada unidade de peça hidrossanitária fazem toda a diferença no orçamento final. Este é o palco onde entramos para otimizar o espetáculo dos projetos elétricos de baixa tensão, utilizando a metodologia BIM.


O Desafio: Otimizar Sem Desperdícios



Nosso desafio nesse tipo de projeto

Otimizar os caminhamentos dos eletrodutos e desenvolver o projeto elétrico de forma a evitar ao máximo o desperdício de materiais. Um ponto que não pode deixar de ser considerado no projeto é uma espera de 15cm de cabos nos pontos de tomadas e luminárias, esse tamanho foi acordado com a construtora, de acordo com a sua metodologia de execução.


A Prova de Fogo do BIM:

No entanto, as coisas começaram a ficar interessantes quando a obra fez um levantamento que resultou em 32% a mais de material do que o modelado no BIM. Fomos até lá para investigar e entender essa diferença considerável.


A Detecção das Inconsistências:


Repassamos cada circuito junto com a equipe de obra e identificamos algumas discrepâncias. A principal delas foi a espera nas tomadas, que estava 30cm, o dobro do planejado.

Outra questão foi a rota dos eletrodutos, especialmente no alimentador do ar-condicionado, que aumentou o comprimento dos cabos em 3x.

Além disso, descobrimos que usaram uma versão antiga do projeto, aumentando em 13m a quantidade de cabos para uma tomada específica.


A Solução: Revisão, Alinhamento e Controle

Repassamos cada circuito, ajustamos as esperas e garantimos que a execução seguisse à risca o que estava no modelo BIM. Identificamos e corrigimos as inconsistências, reduzindo a diferença do levantamento inicial de 32% para incríveis 2%.


O Resultado: Economia de 30% e Precisão de 98%

O saldo final foi uma economia considerável de 30% no valor total da compra de cabos. Isso demonstra que, quando alinhamos os quantitativos do modelo BIM com a execução, atingimos um nível de precisão extraordinário de 98%.


Conclusão: O BIM na Frente e nos Bastidores

Este estudo de caso é a prova de que o BIM não é apenas uma ferramenta tecnológica, mas um aliado estratégico na busca por eficiência, economia e precisão nos projetos de engenharia. Na próxima postagem, podemos discutir a importância do controle de revisões na obra. Fique ligado!




Entre em contato conosco agora mesmo para obter mais informações sobre como podemos ajudá-lo a economizar 30% ou mais na sua obra!




Lembre-se sempre: O projeto não garante o sucesso da obra, mas uma obra sem projeto com certeza está fadada ao fracasso.


19 visualizações
bottom of page